quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Portaria suspende transferência de recursos para 33 municípios do RN 

 

POSTADO POR BLOG  O CIDADAO 

O Ministério da Saúde publicou portaria suspendendo a transferência de recursos financeiros para 33 municípios do Rio Grande do Norte. A medida consta na edição desta quarta-feira, 18, do Diário Oficial da União (DOU). Ao todo, a pasta suspendeu o repasses para mais de 1000 municípios em todo o Brasil. 

Os municípios potiguares nesta lista são: 

Augusto Severo, Baía Formosa , Bento Fernandes, Caiçara do Norte, Carnaubais, Espírito Santo, Governador Dix-Sept Rosado, Ipueira, Itajá, João Dias, Jundiá, Lagoa de Velhos, Luís Gomes, Major Sales, Marcelino Vieira, Monte das Gameleiras, Rio do Fogo, Passa e Fica, Patu, Poço Branco, Porto do Mangue, Pureza, Riacho da Cruz, Riacho de Santana, Riachuelo, Santana do Matos, São Bento do Norte, São Bento do Trairí, São Miguel, São Tomé, Serra do Mel, Sítio Novo e Venha – Ver. 

Ainda de acordo com a Saúde, a irregularidade é quanto à informação da produção da vigilância sanitária dos meses de junho a outubro de 2016, apresentando 3 (três) meses consecutivos sem informação no SIA/SUS 

Segundo o documento, a suspensão é devido a “Estados e Municípios quanto ao cadastro dos serviços de vigilância sanitária no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES) e quanto à informação da produção da vigilância sanitária no Sistema de Informação Ambulatorial (SIA/SUS)”. 

A portaria entra em vigor na data de sua publicação.

PO
19/01/2017 10h34 - Atualizado em 19/01/2017 14h21

POSTADO POR BLOG   O CIDADAO

Presos de Alcaçuz entram em confronto; há mortos e feridos, diz PM

Conflito aconteceu após detentos voltarem a ocupar os telhados.
Penitenciária, a maior do RN, foi palco de matança no fim de semana.

Do G1 RN
Presos da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, maior presídio do Rio Grande do Norte, entraram em confronto na manhã desta quinta-feira (19). Após subirem em telhados dos pavilhões, membros de duas facções se enfrentaram. Pedras, barras de ferro e vigas de madeira são arremessadas de um lado a outro. Há mortos e feridos, segundo a PM --uma ambulância socorreu um detento baleado. A Polícia Militar está na área externa da unidade. Do alto das guaritas, policiais fizeram disparos na tentativa de conter a confusão.
Confronto entre presos em Alcaçuz (Foto: Reprodução/TV Globo)Confronto entre presos em Alcaçuz (Foto: Reprodução/TV Globo)
O repórter Ítalo Di Lucena, da Inter TV Cabugi, está na área externa de Alcaçuz. Ele informa que há fumaça na parte interna, barulhos de tiros e de quebra-quebra no local. Por volta das 11h30 (horário de Brasília) o helicóptero Potiguar I, da secretaria de Segurança Pública do estado, chegou ao local para auxiliar na operação.
Durante o confronto, os presos abandonaram as barricadas que haviam montado para se proteger e foram em direção à facção rival, atirando objetos. Foi possível ver detentos aparentemente feridos sendo transportados em carrinhos de carga.
Por volta das 13h (horário de Brasília), a situação estava mais calma. Os grupos em confronto haviam voltado para as barricadas e telhados dos pavilhões, mas ainda lançavam objetos um contra o outro e trocavam ameaças.
A polícia permanecia na área externa do presídio, onde parentes dos presos buscavam informações. A dona de casa Jéssica de Oliveira, de 26 anos, afirma que o marido lhe contou, pelo telefone, ter sido ferido na perna. "O Estado não pode deixar todo mundo assistir a nossos maridos morrerem desse jeito", disse.
Na quarta-feira (18), 220 membros da facção criminosa Sindicato do RN foram retirados de  Alcaçuz, para evitar o confronto com presos do Primeiro Comando da Capital (PCC) que estão no presídio. Ainda há, entretanto, membros do Sindicato no local, além de detentos que não são ligados a nenhuma facção. No total, há cerca de 1,2 mil detentos em Alcaçuz, quase o dobro da capacidade.
No último fim de semana, presos do PCC invadiram a área onde ficam os integrantes do Sindicato do RN. No confronto, 26 detentos morreram.
Desde a última terça-feira (17), a prisão se tornou um verdadeiro cenário de guerra. As duas facções estão divididas no espaço que liga os pavilhões. Do lado esquerdo, perto do pavilhão 4, estão os integrantes do Sindicato do RN e, do lado direito, os do PCC. Armados com barras de ferro, paus e pedras, eles montaram barricadas com grades, chapas de ferro dos portões, armários e colchões.

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa do Rio Grande do Norte (Sesed) tem mantido contato com lideranças do PCC e do Sindicato do RN para tentar retomar nesta semana o controle da penitenciária.
Os integrantes do PCC ocupam o presídio Rogério Coutinho Madruga, conhecido como pavilhão 5 de Alcaçuz. Dos outros quatro pavilhões de Alcaçuz, três abrigam integrantes do Sindicato do RN, facção criminosa que rivaliza com o PCC pelo comando de unidades prisionais e, principalmente, o tráfico de drogas no Estado.
Inaugurada em 1998 com foco na "humanização", a penitenciária de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, está sem grades nas celas desde uma rebelião em março de 2015. Com isso, os presos circulam livremente e os agentes penitenciários se limitam a ficar próximos à portaria O complexo, no município de Nísia Floresta, na Grande Natal, tem capacidade para 620 presos (veja como funciona Alcaçuz).
Transferências e onda de violência
Nesta quarta-feira (18), 220 presos ligados à facção Sindicato do RN foram retirados de Alcaçuz e levados para a Penitenciária Estadual de Parnamirim, de onde detentos foram retirados para serem transferidos a outras prisões.

Inicialmente, o governo planejava fazer uma permuta e levar para Alcaçuz 116 detentos sem ligações com facções que estavam Parnamirim. A juíza corregedora responsável pelo presídio, entretanto, impediu. Com isso, esses 116 foram levados para a cadeia pública de Natal. A prisão tem capacidade para acomodar 216 presos, mas com a chegada dos transferidos de Parnamirim passa a abrigar 676.
Segundo a secretaria de Segurança, as transferências são uma estratégia para evitar novos confrontos entre as facções criminosas e uma fuga em massa. Bezerra, o titular da pasta, diz que além da informação sobre os túneis nos pavilhões 1 e 2, o governo soube que os detentos desses locais – ligados ao Sindicato do RN – tinham um plano "bastante avançado" de retaliação contra os presos do pavilhão 5, ligados ao PCC.
Durante as transferências, o estado passou a registrar uma onda de ataques, que se estenderam até a madrugada desta quinta-feira (19). Dezesseis ônibus, dois micro-ônibus, um carro do governo do estado, três carros da secretaria de Saúde de Caicó, duas delegacias e um prédio de uma secretaria de Saúde foram alvos de ataques. Não há informação sobre feridos. Os ataques ocorreram em oito cidades do estado.
Matanças
O Rio Grande do Norte foi o terceiro estado a registrar matanças em presídios deste ano no país. Na virada do ano, 56 presos morreram no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus. Outros oito detentos foram mortos nos dias seguintes no Amazonas: 4 na Unidade Prisional Puraquequara (UPP) e 4 na Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoal. No dia 6, 33 foram mortos na Penitenciária Agrícola Monte Cristo (Pamc), em Roraima.

O governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, classifica o massacre em Alcaçuz como "retaliação" ao que ocorreu em Manaus, onde presos supostamente filiados ao PCC foram mortos por integrantes de uma outra facção do Norte do país.
  •  
Comboio para transferência de presos chega a Alcaçuz (Foto: Everton Dantas/NOVO)Comboio policial chega a Alcaçuz para fazer transferência de presos (Foto: Everton Dantas/NOVO)
“Até hoje, nunca tinha havido um confronto dentro dos presídios entre PCC e Sindicato do Crime RN. Virou uma guerra. Começou no Amazonas, isso é uma retaliação. Essa briga não é do RN, é uma retaliação do que aconteceu no Amazonas, é uma vingança ao caso do Amazonas e aconteceu no meu estado, infelizmente”, lamentou o governador.
Presos iniciaram novo motim na Penitenciária de Alcaçuz, no RN, nesta terça (17) (Foto: Frankie Marcone/Futura Press/Estadão Conteúdo)Presos iniciaram novo motim na Penitenciária de Alcaçuz, no RN, nesta terça (17) (Foto: Frankie Marcone/Futura Press/Estadão Conteúdo)
Na quarta-feira (18), o governo federal anunciou que as Forças Armadas vão fazer varreduras nos presídios para retirar celulares e armas, sem lidar diretamente com os presos. Amazonas, Rio Grande do Norte e Roraima já solicitaram o apoio.
Segundo o governo federal, as Forças Armadas irão entrar nos presídios para fazer inspeções de rotina e buscar materiais proibidos. A ida de militares para os estados dependerá do aval dos governadores.
“Haverá inspeções rotineiras dos presídios com vistas à detecção e à apreensão de materiais proibidos naquelas instalações. Essa operação visa a restaurar a normalidade e os padrões básicos de segurança dos estabelecimentos carcerários brasileiros”, disse o porta-voz da presidência, Alexandre Parola.
Rebelião
Segundo o secretário de Justiça e Cidadania (Sejuc), Wallber Virgolino, a rebelião em Alcaçuz começou na tarde do sábado (13) logo após o horário de visita. O secretário disse que os presos do pavilhão 5, que abriga integrantes do PCC, usando armas brancas, quebraram parte de um muro e invadiram o pavilhão 4, onde há presos que integram o Sindicato RN.

Na segunda-feira, os presos amanheceram em cima dos telhados dos pavilhões com paus, pedras e facas nas mãos, além de bandeiras com as siglas de facções criminosas. A Sejuc nega que a rebelião tenha sido retomada. Por volta das 11h50 a Polícia Militar entrou na área dos pavilhões e os detentos desceram dos telhados.
Na terça (17) os presos voltaram a se rebelar. A Polícia Militar usou bombas de efeito moral e armas com munição não letal para conter os detentos. Eles seguem soltos dentro da unidade prisional, mas não há confronto entre as duas facções.
Presidiários fazem uma fogueira na noite de terça-feira (17) durante rebelião na Penitenciária de Alcaçuz, perto de Natal, no Rio Grande do Norte (Foto: Andressa Anholete/AFP) Além dos 26 mortos, o governo do estado confirmou que existe a suspeita de que haja mais corpos dentro da unidade e que o Corpo de Bombeiros fará a busca dentro da fossa.
Presidiários fazem uma fogueira na noite de terça-feira (17) durante rebelião na Penitenciária de Alcaçuz, perto de Natal, no Rio Grande do Norte (Foto: Andressa Anholete/AFP)

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Carro de Juiz de direito de Pau dos Ferros é tomado de assalto na RN-233; Ladrões antes tentaram contra ônibus de sacoleiras.

 

POSTADO POR BLOG O CIDADAO 


PM's estão em diligências na região de Paraú e Upanema  tentando localizar e  prender um grupo de assaltantes que tentaram parar na bala um comboio de ônibus que conduzia sacoleiras na rodovia  RN 233, na noite deste domingo (15).


Por causa dos constantes assaltos na região, as sacoleiras andam com segurança armada e estes revidaram aos disparos.

Os assaltantes estavam em dois carros, sendo um Corsa de cor escura e um Honda Civic.

Quando perceberam que não conseguiriam assaltar os ônibus, os ladrões abandonaram os dois carros e tomaram na mesma estrada, um Corsa Classic e um Pajero, este pertencente ao juiz da comarca de Pau dos Ferros, que passavam no local.

Policiais militares foram acionados e estão em diligência. As vítimas dos assaltos estão na Delegacia de Açu.

*Cidadão 190, com informações de Jarbas Rocha

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

terça-feira

Governo do RN indenizará famílias de mortos em Alcaçuz; valor pode chegar a 50 mil reais 

 POSTADO POR BLOG  O CIDADAO

 

O blog João Moacir apurou que a exemplo do que aconteceu em outros estados após chacina em presídios, o governo do RN já sinalizou que deverá indenizar  as famílias dos presos mortos em Alcaçuz, o valor das indenizações podem variar entre R$ 25.000,00 e 50.000,00 (Vinte e cinco e cinquenta mil reais).
O contribuinte tem mais essa despesa.

Trinta doenças garantem descontos na compra do carro novo 

 

POSTADO POR  BLOG  O CIDADAO 

venda-carro-zero-6jc-kUTE-U1023186326234jC-1024x560@GP-Web

Você que pretende comprar um carro novo pode ter direito a descontos com a isenção de impostos e talvez nem esteja sabendo. A questão é que, ao contrario do que muita gente pensa, o beneficio da isenção fiscal não abrange apenas pessoas com deficiência física, mas também, portadores de doenças que provocam algum tipo de limitação.

Tal benefício está previsto na Lei nº 10.690 de 16 de junho de 2003, que expandiu o número de patologias, as quais os portadores podem requerer o direito.
De acordo com Itamar Tavares Garcia, diretor comercial da Associação Brasileira da Indústria, Comércio e Serviços de Tecnologia Assistiva (Abridef), portadores dessas limitações podem requerer a isenção de impostos como IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e o IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores).
Segundo Itamar, doenças como câncer, hepatite C, Parkinson, problemas graves de coluna, Diabetes, HIV Positivo e hemofílicos, Artodese, Escoliose, Artrite Reumatoide, Hérnia de Disco, Artrose, derrame, Bursite, Tendinite e LER (Lesão por Esforço Repetitivo), estão na lista das enfermidades contempladas com o benefício.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017



ONTEM COMPLETOU MAIS UM ANO DE VIDA UMA CELEBRIDADE VIENENSE,  DR. PITÁGORAS SARNENTO E LIMA, RECEBENDO OS CUMPRIMENTOS DE SEUS FAMILIARES E AMIGOS  EM CAMPINA GRANDE,  CIDADE ONDE É INSTALADO SEU ESCRITÓRIO   PROFISSIONAL !!!




AMADO E QUERIDO PITÁGORAS PARABÉNS, MEU QUERIDO! QUE ALEGRIA É RECORDAR O DIA DO SEU NASCIMENTO E TAMBÉM O DIA EM QUE RECEBEMOS A IMPORTANTE TAREFA DE SERMOS OS SEUS PADRINHOS.

PITÁGORAS, É UMA GRANDE ALEGRIA E UM ORGULHO PARA NÓS SABER QUE TEMOS UM AFILHADO COMO VOCÊ: EDUCADO, ALEGRE, DEDICADO, ENTRE OUTRAS TANTAS QUALIDADES QUE VOCÊ TEM.

É UMA PENA NÃO PODERMOS COMEMORAR AO SEU LADO E CANTAR PARABÉNS COM VOCÊ, MAS VAMOS TORCER PARA QUE ISSO SEJA POSSÍVEL NOS PRÓXIMOS ANIVERSÁRIOS.

AMADO PITÁGORAS
, DESEJAMOS MUITAS FELICIDADES, QUE VOCÊ CORRA ATRÁS DOS SEUS SONHOS E QUE CONSIGA CONCRETIZÁ-LOS. NÃO ESQUEÇA QUE ESTAMOS AQUI PARA O AJUDAR SEMPRE QUE VOCÊ PRECISAR.

TUDO DE BOM E UM FELIZ ANIVERSÁRIO! BEIJOS E ABRAÇOS DOS SEUS PADRINHOS QUE AMAM MUITO VOCÊ.
PÍTÁGORAS, ENVIAMOS NOSSOS ARDENTES VOTOS DE PARABENS. DE SEUS PADRINHOS E AMIGO  POROROCA E MARLY  !!!

domingo, 15 de janeiro de 2017

 POSTADO POR BLOG  O CIDADAO

 

Carmen Lúcia “assume” o controle do País, convoca o Exército e garante a DEMOCRACIA

Cármen Lúcia sabe que as Polícias Militares e os agentes penitenciários  não tem a “energia” necessária para a realização de um grande censo carcerário no Brasil.  Já convocou o Exercito para a tarefa, se valendo no que está disposto no artigo 142 da Constituição.  A informação é verdadeira e real e foi noticiada pelo jornal a Folha de São Paulo na edição de 03 de janeiro de 2017.  

Este conteúdo é produzido por CristalVox. Apoie nosso trabalho curtindo nossa página

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/01/1846687-carmen-lucia-planeja-censo-da-populacao-carceraria-no-brasil.shtml
Só um idiota não percebe o papel que a Ministra Cármen Lúcia, Presidente do Supremo Tribunal Federal tem desempenhado desde que assumiu o comando da Suprema Corte. Ela não demonstra medo.  Ao contrário, com coragem vem gradativamente assumindo o papel de “mediadora” e até mesmo de executiva em questões delicadíssimas de Estado, onde o estado se mostra frágil, desarticulado e até mesmo falido. Enfrenta temas econômicos como o do Rio de Janeiro sem emoção. Age com firmeza e equilíbrio. Na área de segurança envolvendo a crise carcerária, Cármen Lúcia se mostra mais dura  e inflexível do que autoridades sem autoridade. Como sabe que as Polícias Militares e os agentes penitenciários  não tem a “energia” necessária para a realização de um grande senso carcerário. Já convocou o Exercito para a tarefa. Matéria publicada na Revista Isto é, assinada pelas jornalistas Cilene Pereira e Debora Bergamasco mostra ao Brasil a Cármen Lúcia Presidente.


“O que o judiciário não deu certo – e, reconheça-se, em muito não deu – há que se mudar para fazer acontecer na forma constitucionalmente prevista e socialmente justa. Não procuro discutir problemas. Minha responsabilidade é fazer acontecer as soluções necessárias.” É com este espírito proativo que a magistrada decidiu adotar como prioridade iniciativas de enfrentamento da crise do sistema carcerário.
Os massacres de Manaus e de Roraima, que terminaram com 94 presos mortos, evidenciaram o protagonismo de Cármen Lúcia neste tema. Desde as primeiras notícias sobre as mortes na capital amazonense, na manhã do dia 2, a juíza tem concentrado boa parte do seu tempo na análise e proposição de soluções ao caos na estrutura penitenciária brasileira. Dois de seus interlocutores mais frequentes têm sido o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, e o presidente da República, Michel Temer.
Com o primeiro, mantém conversas diárias, por telefone ou pessoalmente. Três dias após a matança em Manaus, os dois se reuniram no STF. Moraes apresentou à juíza o Plano Nacional de Segurança, que tem como um dos objetivos principais a modernização dos presídios. Uma semana depois, o ministro e a magistrada voltaram a se encontrar, desta vez acompanhados do diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello. A reunião, que não estava na agenda de nenhum dos três, durou cerca de quarenta minutos e aconteceu no prédio do Supremo. A presidente do tribunal queria mais informações sobre a situação nas cadeias do Amazonas.
O contato com Temer tem sido igualmente constante. Foi em uma conversa telefônica na noite da sexta-feira 6 que os dois combinaram o encontro pessoal, ocorrido no dia seguinte, na casa da ministra, em um bairro nobre de Brasília. O presidente foi sem carro oficial à residência de Cármen Lúcia e lá passou cerca de três horas. Na conversa – boa parte dela ocorrida na cozinha e regada a cafezinho feito pela própria magistrada -, os dois trataram, entre outros temas, da realização de um censo prisional, uma das ideias da juíza.
Leia a matéria completa em
http://istoe.com.br/formula-de-carmen-lucia/

15/01/2017 11h35 - Atualizado em 15/01/2017 16h37 Itep monta 'operação de guerra' para reconhecer corpos de presos no RN Rebelião na Penitenciária terminou neste domingo após 14h. Governo não confirma número de mortos, mas diz que há mais de 10. Anderson Barbosa, Fernanda Zauli e Fred CarvalhoDo G1 RN POSTADO POR BLOG O CIDADAO


Polícia faz revistde presos (Foto: Adriano Abreu/Tribuna do Norte)Polícia faz revista de presos (Foto: Adriano Abreu/Tribuna do Norte)
O Instituto de Técnico-Científico de Polícia (Itep) está montando uma 'operação de guerra' para identificação dos corpos dos presos mortos durante a rebelião que durou pouco mais de 14 horas na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte. Uma carreta frigorífica foi contratada para armazenar os corpos, e legistas do Ceará e da Paraíba vão auxiliar no processo de identificação.
De acordo com o Itep, o órgão está preparado para receber 100 ou mais corpos, se for o caso. Uma fonte ligada ao governo informou que até a última atualização desta reportagem pelo menos 25 mortes haviam sido confirmadas. Oficialmente, o governo do RN diz apenas que há "mais de dez mortos".
Os corpos serão levados da penitneciária para o Itep nos rabecões e nos carros de perícia. "Estamos com todo o aparato pronto para receber os corpos e trabalhar na identificação", informou Thiago Tadeu, chefe de gabinete do Itep.
A rebelião na Penitenciária Estadual de Alcaçuz acabou após 14h20. Os detentos, que se rebelaram às 17h deste sábado (14) (horário local, 18h em Brasília), se renderam às 7h20 deste domingo (15) após a Tropa de Choque da Polícia Militar entrar nos pavilhões. Segundo a Secretaria de Segurança, não houve troca de tiros.
A rebelião começou com uma briga entre presos dos pavilhões 4 e 5. Segundo o governo, a briga estava restrita aos dois pavilhões. O pavilhão 5 é o presídio Rogério Coutinho Madruga, que fica anexo a Alcaçuz. Há separação entre presos de facções criminosas entre os dois presídios.
  •  
Tropa de Choque da PM do Rio Grande do Norte entra na penitenciária estadual de Alcaçuz, na Grande Natal (Foto: Fred Carvalho/G1)Tropa de Choque da PM do Rio Grande do Norte entra na penitenciária estadual de Alcaçuz, na Grande Natal (Foto: Fred Carvalho/G1)
Um helicóptero da PM auxiliou na operação, que envolve Choque, Bope e GOE (Grupo de Operações Especiais). Às 6h20, era possível ver fumaça negra nos pavilhões e ouvir bombas de efeito moral do lado de fora da penitenciária.
Alcaçuz fica em Nísia Floresta, cidade da Grande Natal, e é o maior presídio do estado. A penitenciária possui capacidade para 620 detentos, mas abriga cerca de 1.150 presos, segundo a Sejuc, órgão responsável pelo sistema prisional do RN.
Enquanto os veículos entravam no complexo penitenciário, pessoas que estavam na porta aplaudiam e vaiavam os policiais. Há familiares de detentos, que ontem à noite tentaram furar o bloqueio policial, sem sucesso. Eles dizem que presos que não estão envolvidos na rixa entre as facções estão pedindo socorro. Com panos brancos, eles acenaram e pediram paz.
Durante a madrugada, o tenente-coronel Marcos Vinícius, que comanda o Bope, disse ao G1, por volta das 2h, que não houve negociação entre PM e presos. A madrugada foi tranquila, sem tiros nem tumultos aparentes. O complexo ficou sem energia elétrica desde a noite de ontem. Muitos tiros foram ouvidos e era possível ver muita fumaça do lado de fora do presídio ontem.
Ontem à noite, o secretário estadual de Justiça e Cidadania (Sejuc), Wallber Virgolino, afirmou que a determinação era retomar o controle do presídio. "A ordem já foi dada: retomar o controle de Alcaçuz e evitar rebeliões em outras unidades", afirmou Virgolino, que diz ter chamado todos os agentes penitenciários que estavam de folga. O estado possui cerca de 800 agentes penitenciários.
penitenciária, presídio, Alcaçuz, rn, rio grande do norte, polícia militar, pm, bope, blindado (Foto: Fred Carvalho/G1)Blindado da Tropa de Choque da PM do Rio Grande do Norte entra na penitenciária estadual de Alcaçuz, na Grande Natal (Foto: Fred Carvalho/G1)
presos, detentos, penitenciária, presídio, Alcaçuz, rn, rio grande do norte (Foto: Fred Carvalho/G1)Presos amanhecem no telhado da penitenciária, de Alcaçuz, a maior do Rio Grande do Norte, em rebelião. Quando a Tropa de Choque entrou no presídio, eles já estavam fora dos telhados (Foto: Fred Carvalho/G1)
  •  
familiares, familia, presos, detentos, penitenciária, presídio, Alcaçuz, rn, rio grande do norte, polícia militar, pm, bope, blindado (Foto: Anderson Barbosa/G1)Familiares de detentos aguardam em frente à penitenciária de Alcaçuz (Foto: Anderson Barbosa/G1)
O motim
A rebelião começou por volta das 17h de sábado (horário local, 18h em Brasília. Segundo a presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, Vilma Batista, homens em um carro se aproximaram do presídio antes da rebelião e jogaram armas por sobre o muro.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) diz em nota que as mortes são "resultado de uma briga entre facções rivais". Já o governo do estado afirma que "'estão sendo levantadas informações acerca do envolvimento de facções criminosas".
Auxílio
Em entrevista ao Jornal Nacional, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, disse que o combate ao crime organizado dentro dos presídios será intensificado. Sobre a rebelião, o ministro afirma estar "aguardando, eventualmente, o pedido de algum auxílio". "Obviamente, em havendo esse pedido, o auxílio será imediato”, afirmou Moraes.

"O sistema está superlotado há muito tempo. Eu costumo repetir que não há passo de mágica pra solucionar um problema crônico no Brasil. É um problema que, governo após governo, vem se ampliando", afirmou. "Nós temos aproximadamente, hoje, 650 mil presos. Com um deficit de quase 300 mil vagas. Obviamente, isso acaba tornando o sistema um barril de pólvora".
O governador do Estado, Robinson Faria, afimou ter entrado em contato com o ministro, para que o governo federal acompanhe a situação do Estado.
Presos estão nos telhados da penitenciária de Alcaçuz (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)Presos se abrigam nos telhados da penitenciária de Alcaçuz (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)
A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) emitiu nota afirmando ter montado um Gabinete de Gestão Integrada (GGI) para executar as ações a serem empregadas na rebelião do presídio de Alcaçuz.
"Já estão no local o Batalhão de Operações Especiais (Bope), o Batalhão de Choque e a Força Nacional para evitar mais confrontos e controlar a situação. Há registro de mortes resultado de uma briga entre facções rivais", afirmou a secretaria.
Rebeliões e fugas
A última rebelião em Alcaçuz foi registrada em novembro de 2015. Houve quebra-quebra após a descoberta de um túnel escavado a partir do pavilhão 2. “Assim que acabou a visita social, por volta das 15h, os presos se amotinaram”, disse o secretário de Justiça da época, Cristiano Feitosa.

Mais de 100 presos conseguiram escapar do presídio no ano passado, em 14 fugas. A maioria deixou o presídio por meio de túneis escavados a partir dos pavilhões ou por buracos abertos no pé do muro, sempre sob uma guarita desativada ou sem vigilância.
Força Nacional
Na segunda-feira (9), o Ministério da Justiça prorrogou por mais 60 dias a presença da Força Nacional de Segurança no Rio Grande do Norte. Os policiais enviados pelo governo federal estão atuando no patrulhamento das ruas e podem atuar na segurança do perímetro externo das unidades prisionais localizadas na Grande Natal.

A Força Nacional chegou ao estado em março de 2015, durante a série de motins no sistema prisional do estado, e o prazo de apoio poderá ser novamente prorrogado, caso haja necessidade.

Presos se rebelaram na tarde deste sábado (14), em Alcaçuz (Foto: Divulgação/PM)Presos se rebelaram na tarde deste sábado (14), em Alcaçuz (Foto: Divulgação/PM)
Calamidade pública
O sistema penitenciário potiguar entrou em calamidade pública no mesmo mês, em março de 2015. Na ocasião, foram gastos mais de R$ 7 milhões para recuperar 14 presídios depredados durante motins, mas as melhorias foram novamente destruídas. Atualmente, em várias unidades as celas não possuem grades e os presos circulam livremente dentro dos pavilhões.

Segundo a Secretaria de Justiça e da Cidadania (Sejuc), órgão responsável pelo sistema prisional do estado, o Rio Grande do Norte possui 33 unidades prisionais, que oferecem 3,5 mil vagas, mas a população carcerária é de 8 mil presos - ou seja, o déficit é de 4,5 mil vagas.
Acre e Amazonas
Na quinta-feira (12), presos apontados pelos setores de inteligência do Acre e do Amazonas como líderes de facções criminosas chegaram à penitenciária federal de Mossoró, na região oeste do Rio Grande do Norte. Ao todo, foram 19 detentos que foram trazidos em uma operação especial para o presídio potiguar - 14 do Acre e 5 do Amazonas.

sábado, 14 de janeiro de 2017

Água da transposição começa a encher estação e segue rumo à Monteiro 

 POSTADO POR BLOG  O CIDADAO

As águas da transposição do Rio São Francisco já estão enchendo a segunda estação elevatória do eixo Leste da transposição, que fica no município de Floresta, Sertão de Pernambuco. A informação foi confirmada ao Portal , nesta segunda-feira (9), pelo Ministério da Integração Nacional, que afirmou que a Paraíba vai ser abastecida com a transposição até março deste ano.
Segundo o ministério, as obras físicas do eixo Leste foram concluídas em dezembro e o bombeamento da água para Floresta começou no início deste mês.
“As obras físicas para a passagem da água no Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco foram concluídas em dezembro de 2016, quando foi iniciado o enchimento das estruturas. O bombeamento começou logo após, no início de janeiro. A estrutura está instalada no município de Floresta, em Pernambuco. A água deve chegar ao município de Monteiro no primeiro trimestre de 2017 e seguirá pelo rio Paraíba até Campina Grande”, afirmou o ministério da Integração.
Em dezembro, o governo do estado de São Paulo anunciou o empréstimo de 1.800 metros de tubulação (dividida em 150 segmentos de 12 metros), quatro conjuntos de bombas flutuantes, 1.360 metros de cabos, quatro motores (sendo dois reservas) e outros equipamentos elétricos que vão ser instalados em Floresta para tornar mais rápida a distribuição da água em Pernambuco e para a Paraíba.
Os primeiros equipamentos saíram de São Paulo no dia 4 deste mês e devem chegar em Pernambuco até o dia 15. De acordo com previsão do Ministério da Integração Nacional, o uso das bombas flutuantes deve antecipar em até 25 dias a chegada da água a Monteiro e, na sequência, a Campina Grande.
CARIRI EM AÇÃO
Com Portal Correio/ Foto: Reprodução
Leia mais notícias em caririemacao.com, siga nossa página no Facebook e veja nossas matérias e fotos. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Cariri em Ação pelo WhatsApp (83) 9 9634.5791 ou (83) 9 99418939.

Em grave acidente homem teve uma perna amputada em Portalegre/RN 

 

POSTADO POR BLOG O CIDADAO

Um grave acidente de transito foi registrado na cidade de Portalegre região serrana do estado do Rio Grande do Norte, segundo informações, uma vítima do acidente teve sua perna Amputada instantaneamente após uma colisão.
De acordo com informações que tem chegado a nossa redação, a vítima foi identificada apenas como Veinho, foi socorrido para o Hospital Regional de Pau dos Ferros e logo em seguida transferido para Mossoró.
Uma equipe do SAMU foi acionada para o local do acidente para socorre o homem que foi levado pra o Hospital de Pau dos Ferros, ainda de acordo com informações, um homem colidiu em sua moto na entrada da cidade de Portalegre.
Outros detalhes a qualquer momento…
Fonte: Viçosa em Foco
PRESIDENTE DA APRAM BUSCA INFORMAÇÕES SOBRE EFETIVAÇÃO DE PROMOÇÕES PARA PRAÇAS DA POLÍCIA MILITAR
POSTADO POR BLOG O CIDADAO

Na manhã desta sexta (13) o Soldado Tony, presidente da APRAM, manteve contato com o Coronel Eliause (Comandante do CPI) e com o Tenente-Coronel Borges (assessoria administrativa do comando geral da PMRN) com os quais tratou sobre o processo para publicação das promoções relacionadas à 25 de Dezembro de 2016.
O dirigente foi informado que devido a um erro administrativo os processos retornaram para a diretoria de pessoal. Outrossim, a informação é que o Coronel Jair Júnior e o Tenente-Coronel Pereira Júnior foram designados para identificação e correção das falhas para que sejam suplantadas todas as etapas e consequentemente aconteçam a efetivação das publicações.
Desse modo, acreditam que na próxima semana o processo será encaminhado para a assessoria jurídica da PM e, posteriormente, ao comandante geral o qual enviará ao executivo para tramitação dos procedimentos de praxe da administração pública, como por exemplo, o impacto financeiro.
Nesse sentido as associações seguem cobrando mais agilidade nos procedimentos que antecedem as tão aguardadas promoções. “O coronel Borges adiantou que há o empenho e que o comandante geral já autorizou uma organização prévia para que tal problema não se repita nas promoções de abril”, afirmou Tony.
Assessoria de Imprensa APRAM