quarta-feira, 27 de junho de 2012

Morre o cantor e compositor Nazareno Vieira


Não fazia nem 24 horas que o  produtor e empresário potiguar João Santana havia participado da gravação de "Vai Doer", com Simoninha e Luiz Américo em São Paulo, quando soube da morte do cantor e compositor Nazareno Vieira, autor da música recém-registrada. "Estou produzindo o novo disco de Luiz Américo e queria fazer essa homenagem com uma canção de Nazareno, já que são amigos", disse Santana. Nazareno Vieira,  73, perdeu a luta contra um câncer às 16h20 desta terça-feira.

A doença foi diagnosticada havia cerca de quatro meses, e ontem o artista apresentou piora em seu estado de saúde quando chegou a ser atendido na UPA do Pajuçara. Nazareno estava com câncer no pulmão e nesta fase final apresentou metástase no cérebro e na medula. O velório estava marcado para ontem mesmo, à noite, no centro de velório Vila Flor da avenida Xavier da Silveira. "Ainda não definimos onde será o enterro, estamos organizando", disse a filha Ana Cláudia. O cantor deixa a esposa Maria Rosilda Barbosa da Costa Vieira e 13 filhos.
Dono de voz rouca e músicas com letras leves, típicas das noites de seresta, o macauense Nazareno Vieira, filho mais velho de uma família de 20 irmãos, iria ser homenageado por evento organizado pelo produtor cultural e iluminador Castelo Casado, que planejava um show com participação de vários artistas, inclusive uma pauta no Teatro Alberto Maranhão chegou a ser reservada. 
"Naza", como era chamado pelos amigos, teve músicas gravadas por nomes como Elizete Cardoso, Antônio carlos & Jocafi, Wilson Simonal, Noite Ilustrada, Originais do Samba, Emílio Santiago e Luiz Américo, e seu maior sucesso de repercussão nacional foi "Vai doer", lançado em 1974,  em parceria com Pena Branca. "Até hoje recebo um dinheirinho dos direitos autorais dessa música", disse Vieira em entrevista concedida em outubro do ano passado quando comemorou 50 anos de estrada. Começou sua carreira nos anos 1950, como integrante do Trio Potiguar, e naquela mesma década seguiu para Fortaleza onde trabalhou na Rádio Iracema. Depois passou por Recife e morou por três anos no Rio de Janeiro onde chegou a participar de programas de televisão, ates de se estabelecer em São Paulo.
Na terra da garoa Nazareno foi calouro no programa do Chacrinha, se apresentou no Teatro de Arena no projeto Samba Prontidão e Outras Bossas, gravou com Pena Branca (nada a ver com o Pena Branca da dupla com Xavantinho) e foi backing vocal de Jamelão no último Festival da Record. "Cantei muito na noite em São Paulo até 1988, antes de voltar para Natal", lembrou na ocasião.
Em 2008 lançou o CD "Feliz da vida", com presença do irmão Gilson Vieira, autor de "Casinha Branca", Max de Castro, Wilson Simoninha, e os parceiros do Três no Tom Towar e Neném.

Vai doer
Vai doer
Quando o sol da manhã me acordar / E ao meu lado eu não te encontrar / Pode ser que eu acabe chorando
Vai doer
Eu saber que esta noite se foi / E o acaso que uniu nós dois / Terminou e acabou te levando
Vai doer
Porque tudo que é bom depois dói/ Quando o sonho a maldade destrói / Só saudade, fica machucando
Mesmo assim, foi tão bom seu amor conhecer / E por estes momentos viver / Vou passar minha vida te amando
FONTE: TRIBUNA DO NORTE
POSTADO PELO BLOG O CIDADÃO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante para que possamos desenvolver um bom trabalho.

  segunda-feira, 7 de setembro de 2020 Relembre os resultados das ultimas eleições para prefeito e vereadores d...