terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Bactérias descobertas na atmosfera podem interferir no clima, diz estudo



Uma camada mais baixa da atmosfera contém bactérias que podem ter efeitos diversos na meteorologia e no clima, revela uma pesquisa americana publicada na segunda-feira (28) na revista "Proceedings of the Natural Academy of Sciences" (PNAS).

Segundo os autores, um dos interesses da descoberta na troposfera é que esses micro-organismos poderiam ter um papel importante na formação de gelo nas nuvens. Algumas dessas bactérias também seriam capazes de metabolizar os componentes de carbono presentes na atmosfera, derivados sobretudo das emissões de dióxido de carbono (CO2), principal gás causador de efeito estufa.
Além disso, o deslocamento de bactérias pelo vento a longas distâncias poderia ser levado em conta no estudo de transmissão de doenças infecciosas entre os seres vivos.
"Não esperávamos encontrar tantos micro-organismos na troposfera, considerada um ambiente difícil para vida", disse Kostas Kostantinidis, professor adjunto do Instituto de Engenharia da Géorgia (conhecido como Georgia Tech), no sudeste dos EUA, e um dos principais autores do estudo.
"Parece existir uma diversidade bem grande de espécies na troposfera, mas nem todas sobrevivem à parte mais alta dela", acrescentou. Foi analisada uma faixa entre seis e dez quilômetros de altitude.
Os cientistas ainda não sabem se essas bactérias vivem permanentemente nessa área da atmosfera – em partículas de carbono em suspensão – ou se ficam ali temporariamente após ser transportadas pelos ventos que vêm da superfície da Terra.
A equipe coletou amostras do solo e dos oceanos, sobretudo no mar Caribe e em algumas partes do Atlântico, durante e após a passagem dos furacões Earl e Karl pela região, em 2010.
Os micro-organismos foram coletados em amostras de ar levantadas por um jato, em um programa de pesquisas da agência espacial americana (Nasa) destinado a estudar as massas de ar em baixas e altas altitudes e o vínculo delas com as tempestades tropicais.
Filtros contendo essas bactérias foram avaliados com técnicas de sequenciamento genético que permitiram identificá-las e calcular sua quantidade. O estudo mostrou, ainda, que esses micróbios representaram, em média, 20% de toda a massa de partículas das amostras. Ato todo, os micro-organismo tiveram 17 variedades enumeradas.
FONTE: G1 / NATUREZA
POSTADO PELO BLOG O CIDADÃO/FABRÍCIO GABRIEL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante para que possamos desenvolver um bom trabalho.

  ÃE E FILHA DE SANTANA DO MATOS MORREM EM GRAVE ACIDENTE NA BR-304 PRÓXIMO A LAJES Postado por Assú Noticia às 20:33 Da...