segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

PM preso por matar advogada no RN diz que vítima tentou agredi-lo antes

fevereiro de 2013

Anderson Barbosa e Rafael Barbosa Do G1 RN
VEJA WEBLEITORES DO BLOG O  CIDADAO, TUDO COMO ACONTECEU ANTES DA MORTE DA ADVOGADA E ATÉ O DIA DO HOMICÍDIO DE  VANESSA RICARDA!!!
Corpo de advogada foi enterrado nesta sexta (Foto: Anderson Barbosa/G1) 
Corpo de advogada foi enterrado em Parelhas
(Foto: Anderson Barbosa/G1)
O policial militar Gleyson Alex de Araújo Galvão, de 35 anos, suspeito de ter matado a pauladas a advogada Vanessa Ricarda de Medeiros, de 37, afirmou à polícia que a vítima, sua ex-namorada, teria ficado enfurecida com uma ligação que ele havia recebido e tentado agredi-lo. Em razão disso, os dois, “entraram em vias de fato e, durante essa contenda caíram ambos, não lembrando o que ocorreu depois disso”. As palavras ditas pelo PM estão no depoimento que ele prestou à polícia após ser preso em flagrante. O G1 teve acesso exclusivo ao documento. A advogada foi encontrada morta na madrugada da última quinta-feira (14) em um motel na cidade de Santo Antônio, a 70 quilômetros de Natal. O PM continua preso.
Ainda segundo o depoimento, Gleyson afirma ter passado boa parte do dia anterior à morte da advogada bebendo com ela e que, a briga, teria sido iniciada porque ele havia se recusado a revelar o nome da pessoa que havia ligado para o celular dele. Também consta no relato do PM que ele “não sabe como aquele pedaço de madeira foi aparecer no interior daquele quarto”, acrescentando “que só depois da prisão começou a entender onde se encontrava, mas que os policiais de serviço não deixaram mais que ele entrasse no quarto”.
Trecho do depoimento do PM Gleyson Alex Galvão à polícia (Foto: Reprodução)Trecho do depoimento do PM Gleyson Alex Galvão à polícia (Foto: Reprodução)
A família de Vanessa Ricarda não acredita que ela tenha ido se encontrar com o suspeito para beber. Genilson Dantas, cunhado da advogada, afirma que ela era evangélica e não consumia bebidas alcoólicas. Ele também disse que acredita que Vanessa tenha ido se encontrar com o policial militar sob ameaça. “Ele sempre dizia que iria matá-la e que também mataria pessoas da família”, disse Genilson.

O cunhado revelou ainda que, sempre que Vanessa não atendia os telefonemas do ex-namorado, ele procurava uma forma de pressioná-la. “Algumas vezes ele foi à casa dos pais dela e exigiu para eles telefonassem pra ela avisando que ele estava lá”, revelou. Genilson contou também que Vanessa já havia dito que Gleyson iria planejar a morte dela.
“Acredito que foi tudo arquitetado por ele”, afirmou Genilson, acrescentando que “a família tem certeza de que o PM a coagiu a ir até a fazenda onde ele estava e depois a levou a força para o motel”. Ainda segundo o cunhado, o PM tinha uma arma, mas não a usou. “Justamente para despistar o planejamento do crime”, afirmou. Genilson afirmou que acredita que Gleyson Alex matou Vanessa Ricarda a pauladas para insinuar que o crime teria ocorrido durante uma discussão, sem premeditação. “Mas ele planejou, sim”, pontuou.
A família de Vanessa Ricarda de Medeiros disse que vai à delegacia de Santo Antônio ainda nesta segunda-feira (18) para ter mais informações sobre o caso e para recolher os pertences da vítima.
Gleyson Alex de Araújo Galvão está preso no quartel da PM em Nova Cruz, onde permanece à disposição da Justiça.
Familiares e amigos acompanharam o enterro (Foto: Anderson Barbosa/G1) 
Familiares e amigos acompanharam o enterro
(Foto: Anderson Barbosa/G1)
Entenda o caso
De acordo com a polícia, funcionários do motel onde a advogada foi espancada acionaram a guarnição depois que escutaram uma discussão do casal. “Eles ouviram a mulher gritando e nós fomos chamados”, contou o tenente Everthon Vinício, do 8º Batalhão da PM, que atendeu a ocorrência.
Ainda segundo o oficial, o PM foi encontrado na área comum do prédio onde funciona o motel. O tenente contou também que Gleyson apresentava sinais de embriaguez e manchas de sangue pelo corpo. “Ele vestia somente um short, que estava todo sujo de sangue”, afirmou.
Ao entrarem no quarto, os policiais encontraram a advogada desacordada e ensanguentada. “O rosto dela estava bastante desfigurado e os objetos do quarto revirados”, relatou o delegado Everaldo Fonseca.
Segundo o capitão Fábio Sandrine, comandante do batalhão da PM na cidade de Goianinha, onde o suspeito é lotado, o soldado Gleyson tem sete anos de corporação. "Ele trabalhava na praia da Pipa, mas na semana passada foi transferido para a cidade de Passagem. Só que ele não se apresentou. Hoje de manhã recebemos esta triste notícia que ele havia matado a namorada. Lamentável", comentou o oficial.
Mensagem telefônica que a família da advogada disse que vai apresentar ao Ministério Público (Foto: Anderson Barbosa/G1)Mensagem telefônica revelada pela família
(Foto: Anderson Barbosa/G1)
Mensagem no celular
A família da advogada Vanessa Ricarda de Medeiros afirmou que vai apresentar ao Ministério Público o conteúdo de uma mensagem telefônica que mostra que o soldado Gleyson Alex de Araújo Galvão perseguia a ex-namorada desde o final do relacionamento.
Verbena Rúbia é irmã da vítima e também é advogada. Ela repassou o conteúdo da mensagem com exclusividade ao G1. O texto data de 1º de janeiro deste ano e é assinado por Vanessa. Nele, ela diz: “Evencia, minha querida como lhe disse meu ex namorad anda me perseguind, preciso me distanciar dele! infelizmente nao posso continuar em santo antonio. Peco sua compreensao. VANESSA” (sic).
Mãe de Vanessa, Raimunda Medeiros, chora abraçada com a outra filha (Foto: Anderson Barbosa/G1) 
Raimunda Medeiros, mãe de Vanessa
(Foto: Anderson Barbosa/G1)
Enterro
O corpo da advogada foi enterrado na manhã da última sexta (15), na comunidade de Santo Antônio da Cobra, distrito a 18 quilômetros de Parelhas, na região Seridó do Rio Grande do Norte. O clima foi de revolta e comoção. Dezenas de amigos e parentes acompanharam o cortejo pelas ruas da comunidade e pediram justiça.
Raimunda Tereza de Medeiros, mãe de Vanessa, disse ao G1 que Gleyson fazia ameaças constantes, inclusive, indo até Santo Antônio da Cobra, onde a família mora, para pressionar a ex-namorada. "Ele veio aqui e ligou pra Vanessa. Disse que estava aqui com a gente. Acho que para ameaçar ela, para que ela pensasse que ele poderia fazer algo de ruim com a gente caso ela não falasse com ele", disse a mãe.
Preventiva
O Ministério Público divulgou nota informando que o promotor de Santo Antônio, Mariano Paganini Lauria, pediu à Justiça que converta a prisão em flagrante do policial militar Gleyson Alex de Araújo em prisão preventiva. O soldado PM foi autuado pelo assassinato de Vanessa Ricarda de Medeiros.
De acordo com a nota, o representante do MP afirma “ser imperiosa a decretação da prisão preventiva do PM como forma de garantir a ordem pública além da conveniência da instrução criminal”.
Para o promotor de Justiça de Santo Antônio, a decretação da custódia cautelar se recomenda também pela gravidade concreta do delito, pela violência do agente e pelo fato de que o agressor tentou se valer de sua condição de policial militar para intimidar e ameaçar os “colegas de farda” que atuaram na sua prisão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante para que possamos desenvolver um bom trabalho.

  ÃE E FILHA DE SANTANA DO MATOS MORREM EM GRAVE ACIDENTE NA BR-304 PRÓXIMO A LAJES Postado por Assú Noticia às 20:33 Da...