sábado, 25 de abril de 2015

FOTO: Terremoto no Nepal deixa mais de 1.400 mortos

terremoto
Um terremoto de 7,8 graus de magnitude deixou pelo menos 1.457 mortos no Nepal, e obrigou o país a declarar estado de emergência na manhã deste sábado. O abalo sísmico derrubou prédios e construções históricas como a torre Dharahara na capital nepalesa e foi sentido em países vizinhos, causando mortes também em Índia, Tibete e Bangladesh. Horas após os tremores, o país começou a receber ajuda internacional enviada pela Índia.
O terremoto foi o mais violento a atingir o Nepal em 81 anos, e teve uma profundidade de apenas 2 quilômetros. Terremotos de pouca profundidade são, geralmente, mais perigosos, uma vez que a quantidade de energia liberada se concentra em uma área menor. De acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), que monitora tremores em todo o mundo, o número de vítimas deve passar de mil. O USGS também registrou 17 tremores após o grande terremoto, com intensidades entre 4,2 e 5,5 graus de magnitude.
Foram registradas mortes em todas as regiões, exceto no Extremo Oeste do país. Todos os nossos agentes de segurança foram mobilizados para resgatar pessoas em necessidade — afirmou o subinspetor geral de polícia, Kamal Singh Bam.
Segundo meios de comunicação locais, o terremoto durou entre 30 segundos e dois minutos, mas foi seguido de dezenas de réplicas. Construída em 1832, a Torre Dharahara era um ponto turístico que esteve aberto ao público nos últimos dez anos. Dos 14 andares da estrutura, apenas a base, de cerca de 10 metros de altura, restou. Vários dos antigos templos hindus da capital nepalesa foram reduzidos a escombros após o tremor.
É difícil precisar a extensão dos danos causados pelo terremoto. Uma análise completa ainda é impossível, mas esse foi um terremoto particularmente intenso, e de pouca profundidade, então a expectativa é de que os danos sejam extensos, especialmente em Lamjung, no distrito de Gorkha, epicentro do tremor — afirmou a coordenadora das Nações Unidas para o Nepal, Jamie McGoldrick. — Não há dúvidas de que foi um terremoto enorme, mas se ele tivesse acontecido mais perto de Katmandu, o resultado teria sido catastrófico
O Globo

O   CIDADAO

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é importante para que possamos desenvolver um bom trabalho.