quarta-feira, 20 de maio de 2015

VÍDEO MOSTRA MULHER MATANDO EX MARIDO NA FRENTE DO FILHO


Câmeras de segurança de uma empresa de autopeças mostram o assassinato do motorista Laércio de Sousa, 48 anos, na noite da última sexta-feira, dia 15, no Jardim Primavera, em Rio Preto. As imagens captadas pelos equipamentos mostram quando Jucélia Leal Coutinho, de 34 anos, ex-mulher do motorista, atira contra ele. Mostram também o desespero do filho do casal, um garoto de 12 anos, que presencia os últimos momentos de agonia do pai, até o socorro chegar. O vídeo foi entregue para a Polícia Civil nesta segunda-feira, dia 18. Nas imagens, é possível ver quando o Corolla, ocupado por Jucélia e a sobrinha dela, Bruna, chega ao local. Estava no veículo, ainda, Leandro, namorado de Bruna. Na calçada, com um capacete escondendo o rosto, está também Sidnei Augusto de Barros, 47 anos, namorado de Jucélia. As câmeras não conseguem registrar o momento em que os três (Jucélia, Sidnei e a vítima) discutem. Segundo o registro policial, Sidinei vai até o carro e pega um revólver que teria sido entregue por Leandro. A vítima e Sidnei entram em luta corporal, Laércio desarma Sidnei, conforme o registro policial. Em seguida, ainda de acordo com o boletim de ocorrência, Jucélia pega um facão, coloca no pescoço do ex-marido, que está deitado no chão, pisa nas mãos dele e o obriga a soltar a arma. Dá para ver pelas imagens, também, o desespero do filho do ex-casal. O menino pega o pedaço de pau e fica ao redor do pai, na tentativa de defendê-lo. O adolescente empurra Sidinei e ainda discute com a mãe. Na sequência, agora já com o registro das câmeras de segurança, aparece Laércio correndo atrás da ex-mulher com um objeto semelhante a um pau. Neste momento, ela vira e atira contra ele, que cai ao chão, ainda como vida. Laércio chegou a ser socorrido por ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu à gravidade dos ferimentos e morreu no local. Jucélia fugiu de carro e Sidnei de moto. Eles ainda estão foragidos. Não há pistas sobre o paradeiro dos acusados. O delegado Renato Pupo, responsável pelo caso, disse que as imagens são úteis como provas da autoria do crime. “As filmagens materializam os fatos, de que realmente foram eles os autores do homicídio.” O filho da vítima, Diego Aparecido de Souza, 27 anos, disse que espera que os acusados sejam presos. "O que eu quero é Justiça. Quero que eles sejam presos para que eu possa viver em paz e criar meu irmão (garoto de 12 anos)."
O  CIDADAO

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é importante para que possamos desenvolver um bom trabalho.