quinta-feira, 18 de junho de 2015

“Era como um irmão para mim”, diz melhor amigo após morte de Artêmio

Uma história de dor e solidariedade. A morte do menino Artêmio Moreira Soares, de 18 anos, em um grave acidente de moto no Alto Oeste comoveu, até mesmo, quem não o conhecia pessoalmente.
O trágico episódio tornou-se mais emocionante, a partir do momento em que a família decidiu doar seus órgãos, para que seu único filho continuasse vivo em outras pessoas.
De acordo com Mateus Barbosa, melhor amigo do jovem, Artêmio era como um irmão. Eles sempre estavam juntos, inclusive no momento do acidente.
“Ainda estou sem acreditar. Ele era como um irmão para mim. Melhor amigo em tudo. Ele sempre estava lá em casa, e eu na dele”, contou Mateus.
No perfil social do jovem, centenas de mensagens foram publicadas pelos amigos, ambos expondo o carinho e apreço que sentiam pelo garoto.
Parentes próximos comentaram que a retirada dos órgãos para doação aconteceu nesta quarta-feira (17), por uma equipe médica vinda do estado de São Paulo.
Ao todo, seis órgãos foram doados.
Procurados pelo MOSSORÓ HOJE, os pais do jovem não quiseram falar sobre o assunto. Demonstraram extrema sensibilidade.
Artêmio teve morte cerebral no Hospital Regional Tarcísio Maia, em Mossoró, ás 15h do dia 16 de junho.
De acordo com amigos próximos, o ele sofreu traumatismo craniano encefálico após uma queda de moto na zona rural de Francisco Dantas, a cerca de dez quilômetros de sua residência, na vizinha cidade de Portalegre.
O corpo deverá chegar à cidade, para ser velado, por volta do meio dia de quinta-feira (18). O sepultamento está previsto para ás 16h, no Cemitério Público do município.

Fonte: Mossoró Hoje 
 
 
O   CIDADAO

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é importante para que possamos desenvolver um bom trabalho.