sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

“É inadmissível um legislador defender uma carga horária de 60 horas semanais para um servidor público, é querer institucionalizar a escravidão na PM” diz o Cabo Jeoás sobre as declarações do Deputado Galeno 

BLOG   O  CIDADAO


Em seu pronunciamento na Assembleia Legislativa nesta quinta-feira (25), o Deputado Galeno (PSD) afirmou que a atual escala de serviço dos Policiais Militares tem contribuindo para a escalada da violência. O deputado sugeriu ao Comando da PM que as escalas de trabalho voltem a ser de 24 horas de trabalho por 48 horas de folga.
Para o Cabo Jeoás o posicionamento do Deputado mostra total despreocupação com o servidor público e com a qualidade do serviço prestado, “É inadmissível um legislador defender uma carga horária de 60 horas semanais para um servidor público que a própria constituição define como especial, que são submetidos a alto nível de estresse e periculosidade na sua profissão. É querer institucionalizar a escravidão”, afirmou Jeoás.
Em visita a Assembleia Legislativa no fim do ano passado, o então vereador Cabo Jeoás pediu aos Deputados a realização de uma audiência pública sobre a definição da carga horária dos Policiais e Bombeiros Militares em 40 Horas semanais, “A falta de regulamentação permite que os profissionais trabalhem horas extras sem remuneração adicional, que haja redução do intervalo entre as escalas de serviço, que seja desrespeitado o período de descanso em escalas abusivas, isso provoca muito desgaste físico e mental nos policiais. No nosso Estado, os Policiais e Bombeiros Militares são os únicos trabalhadores que não tem uma carga horária definida em lei e a Assembleia Legislativa deve se debruçar nesse tema.” afirma o ex- parlamentar.
De acordo com o Cabo Jeoás a Assembleia Legislativa do RN tem o dever de fomentar o debate sobre Segurança Pública e pode em muito contribuir com a melhoria da Segurança Pública para nosso Estado. No entanto deve conhecer a realidade dos fatos, através de audiências públicas, ouvindo a categoria profissional e principalmente a população. Especificamente sobre a carga horária de trabalho existem Projetos de Lei em tramitação no Congresso Nacional que buscam definir uma carga horária de 40 horas semanais e já existem leis regulatórias em vigor em diversos Estados.
“O Deputado Galeno se mostrou desconhecedor da realidade, foi equivocado ao sugerir revisão da escala ao Comando da PM, criticando a escala 24h de trabalho por 72h de folga. Nossa profissão é considerada pela Organização Mundial de Saúde e pela Organização Internacional do Trabalho como uma das 3 profissões mais estressantes do mundo e não precisamos dizer que é a mais perigosa. De fato, a falta de efetivo se agrava no interior do estado, mas não podemos tratar os policiais como escravos e colocar somente nas suas costas a solução do problema com maior carga de trabalho. Além da contratação de mais policiais, deve-se estabelecer um plano de segurança para o interior, com operações e bases móveis orientadas pelas manchas criminais e sugiro aos Deputados que também colaborem com mais investimentos para Segurança Pública, educação, lazer, emprego e renda para a população do interior.” destacou o Policial Militar.
A categoria de policiais lamenta as declarações do Deputado Galeno Torquato e exige retratação e uma postura mais preocupada com os Policiais Militares de nosso Estado.
Cabo Jeoás lançou um abaixo assinado pedindo a regulamentação da Carga horária para Policiais e Bombeiros Militares para ser entregue a assembleia Legislativa e ao Governo do Estado. Para assinar, basta clicar no link: http://goo.gl/forms/k9aTsTfgkx

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é importante para que possamos desenvolver um bom trabalho.