terça-feira, 29 de março de 2016

Demissão na comunicação: A perseguição aos jornalistas pelo PT

 

BLOG   O  CIDADAO

missa bispo
Atualmente comentarista político da TV Gazeta de São Paulo e da Rádio Estadão, o jornalista José Nêumanne Pinto fez uma declaração polêmica em sua conta no Twitter na noite deste domingo (27).

Questionado por uma fã que afirmava sentir falta de seus comentários nos jornais do SBT, onde tinha o quadro “Direto ao Assunto” e falava sobre a política nacional entre 2007 e 2014, Nêumanne afirmou que foi demitido da emissora de Silvio Santos por conta de pressões do Governo Federal, mais exatamente da presidente Dilma Rousseff (PT).
“Fui demitido do SBT por pressão de Dilma Rousseff. Estou muito bem no Jornal da Gazeta. Muito obrigado!”, afirmou o jornalista.

Do blogue: medindo as devidas proporções, este blogueiro também foi demitido da Rádio Rural de Caicó AM por pressão de uma ala do PT do Rio Grande do Norte. O diretor petista Ivanoff Pereira demitiu-me sumariamente porque fiz criticas ao PT durante o programa que tinha o mesmo nome do de José Nêumanne Pinto: Direto ao Assunto. Fui o primeiro caso de perseguição política religiosa do Estado do Rio Grande do Norte.
A quem diga  que houve o “dedo” do bispo de Caicó, Antonio Carlos Cruz, que é o presidente da Fundação Educacional Santana que controla os meios de comunicação da diocese: Rural AM de Caicó, Rural AM de Currais Novos, Rural AM de Parelhas e 95 FM de Caicó. Que defendeu durante recente homília o PT e o governo de Dilma causando revolta a muitos fiéis.
A Rádio Rural de Caicó AM não somente censurou meus comentários, mas acabou com a liberdade de expressão, o bem mais sagrado de um jornalista. E ainda quer se intitular: “A Voz do Povo”.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é importante para que possamos desenvolver um bom trabalho.